19 de out de 2009

Só por hoje.

Só por hoje. Só por hoje eu não quero porque só por hoje eu sei de tudo que se passa comigo de dentro para fora e de baixo para cima. Só por hoje eu prometo. Só por este dia eu não quero nunca mais e de jeito algum nem que você se arraste de joelhos em Aparecida do Norte. Não quero só por hoje tudo que você me faz feliz, tudo que você me odeia e logo depois me ama e tudo o que você colore porque hoje e só hoje, eu quero preto e branco e silencioso. Só por hoje eu não quero chorar o desespero das possibilidades de você passar aquela porta irrevogavelmente e encontrar um outro amor fresquinho, mais gostoso e que tenha vocação para felicidade. E que não ache lindas as bolinhas de sabão de parques. Só por hoje eu não quero essa boca de cerâmica, esse olho de vidro, esse cheiro de morango com chocolate, esse sabor que aguça tudo na minha língua e na minha campainha. Só por hoje eu não quero nunca mais para sempre. Só hoje eu não quero esse tesão desmedido, não quero que meus pêlos oricem quando você está chegando muito muito perto e só por hoje eu não quero que você me pegue com esses vinte dedos mais essa pegada que só por hoje eu não quero nunca mais. Só por hoje eu quero esquecer tudo de bom e tudo de ruim e tudo de X que a gente sempre gostou e realizou enquanto dupla. Só hoje eu quero uma nota só, um singular e um solo de guitarra fodido para ensurdecer e nunca mais, só por hoje, ouvir você dizer tão selvagemente que gosta do meu gosto às vezes azedo às vezes amargo. Só hoje eu não quero tomar essa sopa que eu amo tanto mas que me lembra aquele quarto de pousada onde a gente foi tão feliz mesmo eu nunca gostando de tamanha felicidade e nem de quartos de pousadas. Só por hoje eu não quero acender nossa lareira que é para não arder nesse fogo tão intenso e laranja que não apaga jamais senão a gente se perde. E só por hoje eu não vou ouvir Chico porque Chico e Geni contam muito dos nossos momentos mais sem vergonhas, nessa relação tão pouco sem vergonha que no dia a dia a gente toca com uma certa e só nossa maestria. Só por hoje eu não quero te querer desse jeito tão forte e fundo, não te amar com tanta experiência e sabedoria e não deixar que você me ame com tanto amor e com tanta pureza. Só por hoje eu não quero Coca-cola e só por hoje eu não uso meu sabonete líquido para deixar a pele lisa. Só hoje eu quero a pele um caco que é para descer bem fundo e quem sabe amanhã, também não querer de novo e vencer essa luta tão desleal que é te amar mais do que a mim mesma. Só por hoje eu não quero James Bond, não suporto Ivete Sangalo, só por hoje eu quero morrer de silêncio e sem música que é para ser bem triste e solitário desse jeito que eu gosto tanto porque aí sim tem charme e poesia.


Eu sou a Tatiana, tenho 33 anos e sou uma mulher que ama demais.
Por isso só por hoje eu não quero você que é para gostar um pouco mais de mim.
Só por hoje.

4 Comentários:

Carla Martins disse...

O final é lindíssimo! Parabéns pelo texto! Adorei!

beijos!

19 de outubro de 2009 11:43
Principe Encantado disse...

Tati que maravilha seu texto, show.
Abraços forte

19 de outubro de 2009 12:23
José disse...

Meu Deus, belíssimo texto. Você escreve muito!

beijo
José.

19 de outubro de 2009 12:33
caroline disse...

Incrível!

beijos
carol

19 de outubro de 2009 17:12