8 de jan de 2010

Depois de cada noite dessa

Depois de cada noite dessa, cada manhã é de mais e mais certeza de que cada pedaço de mim foi feito para caber em cada pedaço de você e assim formarmos essa dupla incrível que formamos. De manhã é sempre a mesma invasão. Meu corpo sendo tomado - e sem oferecer qualquer resistência - por esse tiro tão preciso. Pelo último tiro da minha arma de plástico e do meu mundo de imaginações. Onde nele, normalmente sou uma diva que não suporta a multidão que se arrasta aos meus pés. Muito mais que a Xuxa. E nessas manhãs eu sempre tomo banho sem me preocupar com o planeta e com a água que vai faltar para os meus bisnetos porque, em meus momentos mais minúsculos, eu cago para tudo isso e tomo banho fazendo bico de novela para ser charmosa mesmo recheada de buracos. São sempre nessas manhãs que você se atrasa, que você esquece tudo, que eu fico enrolada numa preguiça tão mortal quantos esses ... restos. Mas nem você se preocupa e nem eu me preocupo porque afinal de contas, foda-se para isso também e para todo o resto.

Depois de cada noite dessas eu acabo me odiando em viver com a guarda alta só para não parecer romântica e idiota demais do jeito que eu detesto ser. E do jeito que eu detesto que sejam mesmo não tendo nada com isso. É sempre depois dessas noites que eu fico esperançosa de todos os zilhares de anseios e calma mesmo com toda a descarga de hormônio que sai de você direto para minha veia cava. Meu Deus, não?

E tudo fica tão pequeno nessas manhãs depois dessas noites que eu sento e escrevo sem qualquer dificuldade. Sem qualquer hesitação sobre isso que é meu maior e melhor assunto: nós e tudo isso que é só nosso.

1 Comentários:

ligia disse...

o importante esta ai..em fazer a alma estar plena de si e do outro, o resto: pura perfumaria.
lindo txt tatu!

8 de janeiro de 2010 18:24