9 de jun de 2009

Eu chorei até ficar afogada de você. Até sufocar e quase morrer num último suspiro que nunca pensei que viria. Mas veio e eu quase morri. Quase morri de raiva. Eu chorei até ficar 1 litro de água mais inchada. E até minhas pernas não suportarem mais o peso da minha cabeça fraca e do meu corpo pesado e duro. Até minha água toda incharcar meu travesseiro de plumas de ganso, meu lençol de 800 fios e meu cabelo de mega hair. Eu odeio você com toda a força do meu ego, com toda força das minhas entranhas, com toda força do meu corpo magoado e despedaçado. A minha vontade é socar tua cara até ela inchar e você dar 8 tapinhas no tatame. Porque você, seu filho da puta, veio com todas as promessas, com todas as idéias e com todos os dengos e agora, seu cretino, me diz que eu sou chata. Que toda mulher é chata e que a gente precisa muito de tudo. Eu estou até agora querendo entender, querendo deixar de sentir teu cheiro, querendo que você morra num esgoto coberto por ratos e água suja e nojenta. Porque chata, seu desgraçado é a sua mãe!

Eu te quero longe, eu te quero sozinho, mendigando um amor qualquer, numa esquina da Paulista com um chapéu de palha bem horroroso nas mãos, com a calça suja e a camiseta rasgada. Meso que seja aquela da GAP. Eu quero você longe e cada vez mais longe porque eu nunca mais vou chorar por você, seu animal.

Sinceramente, eu te desejo o pior do amor. O pior do ser humano, o pior que você fez comigo. Neste exato momento, enquanto cago esse texto, me livro de todas as agruras do meu coração de mulher e te engulo com uma coca-cola bem gelada. E com muito limão. Porque qualquer limão azedo é melhor que o gosto que provei com você. Esse gosto péssimo de amor mal resolvido, de amor frágil, de amor mentiroso. Nem adianta você se arrepender, você chorar, você vir com gérberas lindas e azuis porque eu não estou nem aí prá uma pessoa como você.

Eu vou sair por aí linda e em cima do salto em busca das minhas antigas buscas. Porque eu não vou derramar mais uma valiosa lágrima por você. Porque na verdade já estou curada, estou linda, qualquer roupa que eu vista me cai bem e eu quero mesmo que você se foda com toda essa sua gentileza canalha e seu charme manipulador.

Nada vai me fazer deixar de sentir essa raiva asquerosa que estou sentindo agora.
A não ser que você arrombe aquela porta agora e me diga que tudo isso não passou de um pesadelo de criança e, ainda ofegante, me beije como só você, seu filho da puta, sabe fazer.

0 Comentários: