4 de jun de 2009

Meu lugar no mundo.

Esse lugar que às vezes a gente passa uma vida, ou duas ou três procurando. Esse lugar que a gente sonha ser de paz, de amor e de reggae prá quem gosta. Esse tão buscado lugar que poucos encontram. Deve ser culpa de ser só. Só de solidão. Deve ser culpa de a gente se sentir sempre vazio que nem estômago de anorexia. Vazio de luz, vazio de amor, vazio, vazio.

Eu não sei onde está meu lugar no mundo. Fiji? Paris? Rio de Janeiro? Eu não sei. Porque o vazio é vazio em todo lugar. E vazio é tudo igual. Um buraco no corpo. Um buraco sem fundo e sem fim. Um buraco escuro que dá vontade de vomitar de tão feio e úmido.

O meu lugar no mundo é aqui, é ali, é onde nunca cheguei perto de conhecer. Meu lugar no mundo é um lugar com borboletas coloridas, com coelhos soltos, com árvores floridas e vestidos decotados. E calor. E frio quando é prá fazer frio. Meu lugar no mundo é todo lugar. Porque eu me sinto tão grande e cheia de vida! Mas às vezes me sinto tão sem vida. Uma vontade de ficar enjoada na cama, verde de nojo, com o cabelo emaranhado e os olhos fehados. E o pijama furado no sovaco e o hálito de bebum. E aí eu me lembro que meu lugar no mundo me espera. E que esse lugar verde e morno não é o meu lugar. O meu lugar no mundo é muito melhor que isso. É um lugar de boas vibrações, de reciclagem, de amores e sem pudores. É um lugar com um enorme palco embalado pelos belíssimos aplausos, um monte de artistas, um bando de loucos que fazem daquele lugar o meu lugar. O lugar que eu procuro desde sempre. Desde o útero da minha mãe. O lugar onde eu ache que me encontrei. Onde eu sabia que o Norte é ali e o Sul é lá. Onde o vazio seja sugado abruptamente pelo preenchimento. Mas e daí? Eu vou viver sem o vazio? Diz uma música que "perder o vazio é empobrecer". Empobrecer de espírito? O que me restará quando o vazio estiver preenchido? Depois que eu encontrar meu lugar no mundo o que vai ser da minha frenética e eterna e caótica busca? Como eu vou viver sem crise? Como vou viver encontrada? Como, meu Deus, como??? Como um ser humano pode encontrar seu lugar no mundo, encontrar um amor prá vida inteira, ter filhos maravilhosos? O que sobra? Cada meu vazio? Aquele me acompanhava em minha procura e minha loucura? Eu não sou ninguém sem meu vazio camarada, sem minhas lágrimas vazias, sem meu estômago anoréxico e meus desejos libidinosos! Me afundo numa crise desesperada. Na busca de algo prá buscar. Coloco meu pijama furado no sovaco, ligo uma música bem "fossal", deito sozinha na minha cama com o edredon cobrindo a cabeça e volto prá minha busca louca e atônita.

Porque sem buscar eu realmente não sou niguém.

0 Comentários: