17 de dez de 2009

Era só isso.

Eram milhares de pequenas histórias dentro de uma história maior que contava quase tudo de devasso que era para esconder e não impressionar o mundo inteiro com a nossa falta de noção. Eram milhares de pequenos sentimentos dentro de um sentimento mais quente e muito muito mais profundo desembocando no buraco que você sabe onde é. Eram milhares de rápidas notas compondo uma canção interminável com uma batida ensurdecedora que me incomodava pela temperatura alucinante e pela hora avançada do fim certo. Eram milhares de milhares de invenções para tudo ser sempre diferente e para o medo de perder ficar latejando o tempo inteiro. E de invenções em invenções a verdade ficou esquecida apesar do ritmo não querer nada para lembrar. Eram sempre milhares de conversas só fiadas para tapar a profundidade dos buracos escuros que precisavam de muito mais. Eram verdadeiramente milhares de cubos e pinicos de gelo para tentar apagar a chama de mamãe noel safada que queria tudo do Papai Noel já cansado e confuso. E você riu. Porque eram sempre milhares de gargalhadas nervosas para não olhar no espelho e encarar a verdade das rugas. Eram milhares de fantasias para nosso bloco sair na avenida impecável e fazendo inveja a todos os outros blocos e suas rainhas peitudas e bundudas. Eram só carnavais. Eram milhares de silêncios fúnebres para que o ruído não nos acordasse num chacoalhão nos lembrando da hora de trabalhar e de ir embora porque a vida lá fora corre.

Eram milhares de centenas de deliciosas rapidinhas nas modalidades um pé só que colocavam meus hormônios em seus devidos lugares e me faziam esquecer de questionar. Porque no fim das contas nunca passou disso. Eram só milhares de centenas de deliciosas rapidinhas.

1 Comentários:

Carla Martins disse...

Hihihihihih

Arrasou!!!!!

beijinhos

18 de dezembro de 2009 10:52