20 de jun de 2009

Carta ao cansaço.

Você conseguiu. Cansei. Cansei das palavras. Cansei das coisas todas. Eu cansei de ter que fingir alguém que não sou só por que você não me aceita torta e nervosa. Eu tô com o saco bem cheio. Tão cheio que às vezes eu tenho vontade de emprestar o estômago prá você poder me encher mais e ter prá onde ir toda essa encheção. Cansei, meu bem. Cansei mesmo. E de verdade. Eu não tenho mais pâncreas prá suas ameaças, pro seu jeito dominador, pra sua calma e prá essa paciência sempre tão paciente e latente. Eu tô cheia. Tão cheia que dá vontade de me auto enfiar uma agulha e me furar que é prá ver se esvazio. Eu cansei de você me apontar, de me xingar de chata e ansiosa e de me pedir calma até quando eu não quero ter calma. Eu quero intensidades. Eu quero tons e volumes diferentes. Eu cansei do morno. Aliás morno sempre me remete à vômito.

Eu cansei do seu jeito de me mandar embora, de falar grosso quando está puto e cansei da sua mania de deixar a toalha molhada em cima da cama. Cansei do seu barulho escovando os dentes, cansei da bagunça no banheiro, cansei das suas roupas e de como você me ama. Cansei de não ser nada e de ser tudo. Cansei de catar as coisas e cansei de mudar prá ser melhor. O seu melhor. As pessoas cansam, sabia, meu bem? E eu me afoguei, chafurdei a cara na sua lama. De tanto que eu quis não cansar. Mas mesmo assim eu cansei. Esgotei, afundei, submergi, socooooooooorro!!!!

Cansei de não cansar, de querer muito. Até que cansei. Me dá azia e mal estar. Parece que eu vou morrer de tão cansada. Porque de repente eu era outra. E muitas. E quase todas. E se ser uma só já cansa, imagine ser muitas. Servil, companheira, sorridente, bem humorada, amante, mãe, cozinheira, trocadora de fraldas, lavadeira de roupas, mamadeira e afins. Ufa, cansa. Às vezes eu tenho vontade de me perguntar como eu demorei tanto prá chegar no auge desse cansaço que me dá falta de ar. E só não me pergunto porque não sei a resposta. Esse cansaço que seca a garganta, que dá tonteira e confusão mental. Eu estou tão cansada que nem sequer sei como estou sentada tentando terminar esse texto sem sucesso. É um misto de fadiga física com bode do mundo inteiro somado com sono, noites picadas, ansiedade e tensão. Cansa tudo isso junto.

Cansei de mim. De ser passional, de ser complascente, de ser de ser de ser. Eu cansei de ser. Quero apenas estar. Estou cansada. Estou puta com você.

E amanhã é outro dia.
Eu amo você. E isso ainda é maior do que todos os cansaços.

1 Comentários:

Dani disse...

Obrigada por estar sempre presente no meu blog.
Continue acompanhando.
Um beijo,
Dani

23 de junho de 2009 17:40